Corpos Outros

Porque somos todos pedaços alheios.

Arquivos Mensais: setembro 2010

Por ser estranho

 

– e por que você me ama?
– eu te amo porque você é meu. eu te amo porque você precisa de amor.
– eu também te amo!
– e por que você também me ama?
eu te amo porque pra entender o nosso amor ia ser preciso virar o mundo de cabeça pra baixo!

.

Do começo ao fim

E essa aí, esse aí que seja, te faz voar por sobre tudo

 

E você se acostuma tanto a ver todo mundo guardando o seu pra si, que começa a fazer igual. Mas de vez em quando aparece uma ovelhinha, sabe, uma ovelhinha que não consegue dissimular que dói, que não consegue entender por que ela tem de ser má igual a todo mundo. E essa aí, esse aí que seja, não tem costelas que protejam o coração, então ele cobre com lã e cota de malha, uma defesa externa que não permite ver o brilho do próprio peito. E pra esses, meu amigo, o amor é um labirinto: milhares de pistas e nenhum céu. Eles não conseguem ler, nem conseguem confiar, e plantam armadilhas. E pra amar gente assim, brother, precisa voar por sobre tudo. Sobre tudo mesmo.”

 

Caio Fernando Abreu

Dominó

 

Mas acho que a saúde do planeta é afetada pela saúde de cada indivíduo que vive nele. Enquanto duas almas quaisquer estiveram envolvidas em algum conflito, o mundo inteiro será contaminado por isso. Da mesma forma, se duas almas quaisquer puderem ser libertadas da discórdia, isso irá aumentar a saúde generalizada do mundo inteiro…”

 

Elizabeth Gilbert

Anestesia

 

Se um ogro xingar alguém na rua, e todos olharem com reprovação, beleza, estamos caminhando para que os ogros sejam eliminados pela seleção natural; mas quando o ogro ganha torcida e coro de “força e honra”, aí meus amigos, fujam para as colinas, porque os eliminados pela seleção natural somos nós.”

 

Patrícia C.

Tanta cor, tanto sabor.

 

Sei que nada está tão fácil e fica cada dia mais complicado acreditar. Por isso mesmo sinto que existe uma obrigação de gratidão, de viver bem. Não pense ser um romantismo tão tolo assim, é somente o que escolho ressaltar. É mais escolha que estado. Há sempre coisas ruins e coisas bonitas. Prefiro me prender ao que é belo e tão raro e tão simples. Aos que destilam amargura, nada a dizer. Esperança me atrai mais. Se piegas, peço licença, sempre fui. Conjugo o verbo sempreamar e tenho provas literalmente vivas de que gentileza existe e até doçura, por mais incrível que pareça. Tenho um pouco de dó dos que se julgam sábios por serem frios e espertos por serem falsos. Tenho preguiça de gente assim. E a vida é tão frágil… Não há tempo a perder com quem não sabe brincar de verdade. Toda a melancolia sempre presente acerta o passo na cadência da esperança. E se nada adiantar, eu procuro um espelho e abro um sorriso, assim ele volta para mim. O coração aberto e em paz continua repetindo o mantra:

que seja doce, que seja doce, que seja doce

 

E agora Maria?

Leve

 

Não me leve a mal

Me leve apenas para andar por aí.”

.

Chico Buarque

Poesia é o motivo, todo o resto é só ganha pão

 

Não lemos e escrevemos poesia porque é bonitinho. Lemos e escrevemos poesia porque somos membros da raça humana e a raça humana está repleta de paixão. E medicina, advocacia, administração e engenharia, são objetivos nobres e necessários para manter-se vivo. Mas a poesia, beleza, romance, amor… é para isso que vivemos.”

 

Sociedade dos Poetas Mortos

Zaluzejo

 

Acredito que errado é aquele que fala correto e não vive o que diz.”

 

O Teatro Mágico

Negava a perfeição e seus anexos padrão

 

Digamos que naquele momento eu não fazia questão dessas tais coisas: tudo que precisava estava ao alcance talvez não exatamente das mãos, mas certamente dos olhos, o que já é alguma coisa.”

 

Caio Fernando Abreu

Me cansei de lero-lero ♪

 

Estou com sede de mudanças,
mas não quero arrastar os móveis,
nem desentortar os quadros.
Quero desabitar meus hábitos.

Marla de Queiroz

Esses vazios frios

 

Eu torço pra não fazer Sol, eu torço pra não chover, eu torço para acordar no meio do dia, eu torço para o dia acabar logo. Eu torço para ter alguma coisa que me faça torcer, que me diga que eu ainda sei torcer por algo mesmo sem torcer pela gente. Minha dança é queda equilibrada, minhas roupas novas são fantasias, meu sorriso é espasmo de dor, minha caminhada reta é um círculo que sempre me traz até aqui, meu sono é cansaço de realidade, minha maquiagem é exagerada, meu silêncio é o grito mais alto que alguém já deu, minhas noites são clarões horríveis que me arregaçam o peito e nada pode me embalar e aquecer, o frio é interno, o incômodo é interno, nenhum lugar do mundo me conforta.”

 

Tati Bernardi

Coragem de amar e desamar, coragem de morrer e desmorrer, coragem da cólera, da tristeza.

 

Já dizia há certo tempo Caio-querido-caio, não é moderno ter emoções. A idéia ainda vale, não é moderno, não é correto, não é educado, nem mesmo higiênico. Para ser respeitável, bom mesmo é ser comedido, rir moderadamente diante de coisas mais ou menos agradáveis, contrair levemente a face quando algo um tanto ruim acontece, nada além disso. Evite os grandes sentimentos, moderação é a palavra de ordem. Ah, que tédio. Pois então está fora de moda sentir e chorar, transpirar, descabelar ouvindo música-fossa no último volume, rir de doer a barriga vendo bobagens estúpidas na televisão ou dizendo coisas sem qualquer sentido só porque tem gosto bom, está fora de moda a gente viver a vida do jeito que ela foi feita pra se viver, saboreando, sentindo, mergulhando, assim de verdade? Está fora de moda ser gente, é isso. Querem mesmo é transformar-nos a todos em máquinas produtivas, pensantes apenas até um limite aceitável, querem a vida feito linha de produção, tudo funcionando adequadamente, eficientemente, desassociadamente. E gente, cadê? Ainda restam uns por aí, uns resistentes, teimosos talvez. Uns e outros que se acotovelam pelos becos escuros para soluçar de tristezas e rodopiar de alegria. Em voz baixa, em transgressão, recitam poesias que dizem das belezas inteiras e doloridas do mundo, saúdam a vida, aquela feita de sentimento e mergulho. E em celebração, tocam-se, experimentam-se, dividem uns com os outros a alegria de revirar-se e não se negar à vida. Essa gente já não cabe no mundo. Ou é o mundo que já não cabe na gente.

 

Lygia Fagundes Telles

O amor é um carro azul trancado

 

– Então Charlie Brown, o que é amor pra você?
– Em 1987 meu pai tinha um carro azul
– Mas o que isso tem a ver com amor?
– Bom, acontece que todos os dias ele dava carona pra uma moça. Ele saía do carro, abria a porta pra ela, quando ela entrava ele fechava a porta, dava a volta pelo carro e quando ele ia abrir a porta pra entrar, ela apertava a tranca. Ela ficava fazendo caretas e os dois morriam de rir… acho que isso é amor.

 

Charles Schulz

O que o equilíbrio faz

 

Queremos equilíbrio, mas tentamos de forma inútil desviar de alguns caminhos. Até os excessos são importantes em busca da nossa medida exata!”

 

Fernanda Gaona

Doze de setembro de mil novecentos e quarenta e oito

 

 Fugir a gente pode todos os dias, mas aniversário é só de vezenquando.”

.

Caio Fernando Abreu

Eu não sei parar de te olhar ♪

 

 

– E  você, por que desvia o olhar?

 (Porque eu tenho medo de altura. Tenho medo de cair para dentro de você. Há nos seus olhos castanhos certos desenhos que me lembram montanhas, cordilheiras vistas do alto, em miniatura. Então, eu desvio os meus olhos para amarrá-los em qualquer pedra no chão e me salvar do amor. Mas, hoje, não encontraram pedra. Encontraram flor. E eu me agarrei às pétalas o mais que pude, sem sequer perceber que estava plantada num desses abismos, dentro dos seus olhos.)

— Ah. Porque eu sou tímida.

 .

Rita Apoema

As pessoas guardam dessas coisas

 

Então, eis a minha única curiosidade:
você às vezes pensa nisso, como eu penso?
Com um suave aperto no coração?

.

Fernanda Young

A soma que vale

 

Um mais um será sempre igual a dois. Um menos um, zero. A morte é matemática. A vida, não. A vida é delicada e inexata. É pra quem sabe brincar de poesia.”

 

Cris Guerra

Uns mais iguais que os outros

 

 

– Alguém já disse: ‘Nós, as mulheres, amamos com os ouvidos, como os homens amam com os olhos, se é que os homens podem amar.’
– Ora, não fazemos outra coisa, duquesa! – disse Dorian.
Equivale a dizer que nunca amam realmente.

.

Oscar Wilde

Alors on danse

 
“Quem fala de estudo, fala de trabalho,
Quem fala de trabalho, fala de dinheiro,
Quem fala de dinheiro, fala de gastos,
Quem fala de empréstimos, fala de demandas,
Quem fala de dívida, fala de oficial de justiça e também de estar no meio da merda
Quem fala de amor, fala também de crianças e fala sobre pra sempre e sobre separação
Quem fala dos seus parentes, fala de tristeza porque os problemas quase nunca vêm sozinhos
Quem fala de crise, fala do mundo, fala da fome e do Terceiro Mundo
Quem fala de cansaço, fala também do acordar ainda surdo do dia anterior
Então vamos sair para esquecer os problemas”

Então vamos dançar!

.

STROMAE

Brasil, mostra a tua cara!

 

Brasil!
Qual é o teu negócio?

Cazuza

Sem peso, sem não, só sina doce!

 

Camarada, viva a vida mais leve
Não deixe que ela escorregue
Que te cause mais dor.”

 

Fernando Anitelli / Danilo Souza

São tudo histórias, menino.

 

A história que está sendo contada, cada um a transforma em outra, na história que quiser. Escolha, entre todas elas, aquela que seu coração mais gostar, e persiga-a até o fim do mundo. Mesmo que ninguém compreenda, como se fosse um combate. Um bom combate, o melhor de todos, o único que vale a pena. O resto é engano, meu filho, é perdição.”

 

Caio Fernando Abreu

Era espelho, parecia.

 

Parece que foi ontem
Tudo parecia alguma coisa
O dia parecia noite
E o vinho parecia rosas
Até parece mentira
tudo parecia alguma coisa
O tempo parecia pouco
e a gente se parecia muito
A dor, sobretudo
parecia prazer
Parecer era tudo
que as coisas sabiam fazer
.”

 

Paulo Leminski

Curiosidade suficiente para continuar vivo. Tenha.

 

Aqui no meu quarto também existem coisas que podem matar – a lâmina no aparelho de barbear, a própria janela de que gosto tanto. No quarto de meus pais há o revólver na gaveta, o vidro de comprimidos para dormir. Na cozinha, gás. No banheiro, aqueles vidros escuros de veneno. É fácil morrer. A toda hora, em todos os lugares, a morte está se oferecendo. Mais difícil é continuar vivendo. Eu continuo. Não sei se gosto, mas tenho uma curiosidade imensa pelo que vai me acontecer, pelas pessoas que vou conhecer, por tudo que vou dizer e fazer e ainda não sei o que será.”

 

Caio Fernando Abreu

Desde lá

 

 

Achei melhor não dizer nada. Parei minha mão no ar, depois puxei-a de volta para pegar outro cigarro. Era outra quinta-feira, esta de setembro, e desde o início de agosto nós andávamos os dois muito confusos.”

 

Caio Fernando Abreu

Music speaks

A próxima vez que a gente se encontrar
Eu vou te dar um beijo, sem pensar, calado
A próxima vez que a gente se beijar
Eu vou querer o mundo com você, do lado

Por que não tentar comigo?
Por que querer ser seu…
Amigo não…
Não há abrigo não

A próxima vez que a gente se encontrar
Eu vou te abraçar

Vou chorar, vou morrer
Só pra te fazer sorrir…

sofrer, sorrir
Só pra te fazer sof-rir…

.

Gugu Peixoto/Gustavo Vaz

Fluescência

Porque somos todos pedaços alheios.

Fierce People

Porque somos todos pedaços alheios.

Pensar Longe

Porque somos todos pedaços alheios.

palavrasespalhadas

Just another WordPress.com site

Aqui dentro de mim

Porque somos todos pedaços alheios.

Lembranças Inconscientes

Porque somos todos pedaços alheios.