Corpos Outros

Porque somos todos pedaços alheios.

Arquivos de tags: Paulo Leminski

Escafandro

cigarrete.
.
Proteja, amor
até o último suspiro [pausa rápida para respirar]
este fôlego
naufragado em tantos beijos
e proteja sobretudo
o aqualung que eu te dei
ele é nossa garantia
de oxigênio até o fim…
um escafandro dá pra dois
e seu tua mãe quiser morar, eu deixo
faço a minha exigência:
vá dormir quando eu te beijo…
proteja, amor…

Somos rima

Amor então

também acaba?

não que eu saiba

o que eu sei

é que se transforma

numa matéria-prima

que a vida se encarrega

de transformar em raiva

ou em rima.

É tão certo

 

“pelos caminhos que ando
um dia vai ser
só não sei quando

 

Paulo Leminski

Era espelho, parecia.

 

Parece que foi ontem
Tudo parecia alguma coisa
O dia parecia noite
E o vinho parecia rosas
Até parece mentira
tudo parecia alguma coisa
O tempo parecia pouco
e a gente se parecia muito
A dor, sobretudo
parecia prazer
Parecer era tudo
que as coisas sabiam fazer
.”

 

Paulo Leminski

Fluescência

Porque somos todos pedaços alheios.

Fierce People

Porque somos todos pedaços alheios.

Pensar Longe

Porque somos todos pedaços alheios.

palavrasespalhadas

Just another WordPress.com site

Aqui dentro de mim

Porque somos todos pedaços alheios.

Lembranças Inconscientes

Porque somos todos pedaços alheios.